Pesquisa
×
false

Por que construir parcerias entre escolas e comunidades é o caminho a seguir

A colaboração nas escolas é essencial e um grande componente da aprendizagem. Ao mesmo tempo, quando pensamos em colaboração, nos referimos principalmente à colaboração entre alunos e entre professores ou até mesmo à colaboração de toda a escola para diferentes projetos.

Porém, isso está longe de ser tudo. Em muitos casos, tratamos as escolas como silos, com sua pequena comunidade e cultura, embora saibamos bem que elas são tudo menos isso.

As instituições educacionais fazem parte da comunidade mais ampla e, muitas vezes, um reflexo dela. Os problemas da comunidade e seus pontos fortes geralmente também são aqueles da escola, sem mencionar que esta última é afetada por políticas nacionais, estaduais e municipais.

É por isso que não faz sentido manter as salas de aula fechadas quando a questão é criar parcerias entre escolas e comunidades. Aqui estão alguns dos benefícios dessas parcerias:

Conhecer exemplos da vida real

Em geral, quando pensamos em uma forte parceria entre escola e comunidade, a formação profissional está envolvida de alguma forma.

No entanto, qualquer classe e nível de ensino pode se beneficiar com exemplos autênticos de profissionais. Por exemplo, quando os alunos aprendem sobre química, é difícil vincular as fórmulas e os experimentos com fenômenos ou aplicações da vida real.

É por isso que os alunos podem ficar motivados a aprender mais ouvindo um engenheiro químico ou de materiais, ou qualquer pessoa que use certos conceitos de química diariamente, falar sobre sua profissão e por que seu conjunto de habilidades é significativo. Essa oportunidade aumenta a compreensão deles sobre qualquer assunto, e não apenas aqueles relacionados a ciência, tecnologia, engenharia e matemática.

Tornar as aulas mais relevantes

O currículo é relevante, mas os alunos nem sempre o veem dessa forma. A pergunta "para que eu preciso disso?" surge muitas vezes com um discurso sobre futuras carreiras, como seus “eus” futuros vão agradecê-los por isso, etc. Na posição de professor e adulto, é muito fácil ver como a educação molda sua vida, mas isso não é tão claro para os alunos.

Na realidade, é difícil motivar alunos que não têm ideia do que querem fazer no futuro ou do que os espera lá fora. Profissionais da comunidade mais ampla podem complementar o currículo com informações relevantes, até mesmo por meio de uma sessão de perguntas e respostas. Melhor ainda, eles podem enviar materiais visuais para ajudar você a reforçar suas aulas, o que não é fácil de encontrar com uma pesquisa no Google.

Garantir representação para todos os alunos

Se os alunos escolhem carreiras com base naquilo que podem ver e aprender em seus ambientes, é melhor mostrar a eles diversas pessoas e carreiras diferentes.

Para alguns alunos, especialmente de famílias de renda mais alta, a representação geralmente não é um problema. Por outro lado, as pesquisas nos dizem que alunos de baixa renda muitas vezes encontram barreiras, como baixa capacidade de realização.

Ao mesmo tempo, pais, conselheiros e membros da comunidade têm uma influência decisiva na trajetória de carreira de um jovem. É impossível pedir aos educadores que cumpram esse papel para todos os alunos.

É por isso que conhecer profissionais de todos os gêneros, raças e até mesmo pessoas em funções não tradicionais de origens semelhantes é algo genuinamente empoderador.

Quebrar os mitos de trabalho

Sem sombra de dúvida, mitos como "este emprego é apenas para homens" ou "você precisa ser superdotado para entrar em um determinado campo" estão na mente dos seus alunos, quer eles falem sobre isso ou não. Esses preconceitos acabarão sendo obstáculos para os alunos, mesmo que a decisão sobre uma carreira ainda esteja a muitos anos de distância.

Modelos na comunidade são fundamentais para mostrar a eles o que é possível alcançar. A representação é importante, especialmente para os mais jovens que procuram orientação e que muitas vezes a encontram em fontes como programas de TV e a Internet, que podem não mostrar uma imagem precisa de como são certas carreiras. Por exemplo, autores de programas de TV costumam pensar que trabalhos em escritório são chatos, apesar de nunca terem tido um emprego semelhante.

Melhorar a ABP

A aprendizagem baseada em projetos (ABP) geralmente envolve entrar no "mundo real" para obter informações. Simultaneamente, a maioria dos alunos não tem as conexões necessárias para simplesmente entrar no escritório de uma pequena empresa e escrever um relatório sobre práticas empreendedoras ou simplesmente obter o conteúdo de que eles precisam visitando um museu de geologia.

A escola pode fornecer acesso a um especialista para responder às perguntas deles e até mesmo para se envolver no projeto. Os membros da comunidade podem atuar como juízes em competições escolares ou podem dar feedback sobre projetos.


Leia mais: 10 coisas que você DEVE e NÃO DEVE fazer na aprendizagem baseada em projetos

Atuar como uma oportunidade de aprendizagem para os professores

Os professores são vistos como detentores de todo o conhecimento, mas não há uma única pessoa no mundo que saiba tudo.

Podemos perceber uma barreira entre professores e outros profissionais, ambos com noções preconcebidas sobre o que o outro grupo sabe e faz. Isso não ajuda os alunos, pois espera-se que eles entrem no mercado de trabalho após a conclusão do ensino médio, independentemente de frequentarem o ensino superior ou não.

Essa é também uma oportunidade para os professores se desenvolverem profissionalmente, tendo um especialista que lhes mostre casos de uso, discuta aplicações reais de suas aulas e revele informações úteis que certamente poderão melhorar sua estratégia de ensino.

Expandir-se além das paredes da sala de aula

Lembro-me muito mais das aulas que tiraram proveito de diferentes palestrantes convidados do que de palestras. Isso porque não eram palestras propriamente ditas, mas sim um bate-papo com pessoas, que geralmente descreviam suas profissões em termos simples, desfazendo os equívocos que tínhamos e tornando as coisas muito mais fáceis de entender. Tudo isso, é claro, coordenado pelo professor, que garantia que pudéssemos conectar essas novas informações com o que já havíamos aprendido.

Fazer com que os alunos escolham os cérebros dos especialistas lhes dá uma ideia mais precisa de como as coisas funcionam. Isso deixa muito espaço para a aprendizagem informal. Acima de tudo, como a tecnologia está onipresente nas escolas, você nem precisa trazer especialistas que moram a poucos quilômetros da escola. Você praticamente tem acesso a qualquer profissional com uma hora livre para uma videochamada ou sempre pode contar com as redes sociais, nas quais muitas vezes as pessoas ficam felizes em se envolver e ajudar.

Conectar as peças do quebra-cabeças

As escolas são essenciais para as comunidades e não podem existir fora delas. Uma parceria bem-sucedida entre a escola e a comunidade traz muitos benefícios, incluindo derrubar barreiras, melhorar a aprendizagem e fornecer a tão necessária representação.

TABLE OF CONTENTS
f-image t-image pin-image lin-image